Notícias Gerais
 
24.Fev - Padre Rosário: lições de um sacerdote que soube amar os pobres
Aumentar Fonte +
Diminuir Fonte -
Padre Rosário: lições de um sacerdote que soube amar os pobres

Ricardo Gomes – Diocese de Campos


Defino padre Rosário como um homem santo. Ele é uma presença cotidiana em meu ministério presbiteral.” Padre Márcio André Ribeiro dos Santos


Padre Antônio Ribeiro do Rosário, um homem simples, mas que soube deixar lições para todas as gerações. Exerceu no Legislativo campista mandatos e soube usar a tribuna da Câmara Municipal de Campos dos Goytacazes (RJ) para a defesa da vida e dos pobres. Um de seus projetos foi a criação do Banco de Sangue, que até hoje salva vidas.


Dom Roberto Francisco Ferreria Paz, bispo de Campos destaca o exemplo de sacerdote e a missão profética exercida na diocese de Campos. Um homem que viveu e formou cidadania se ocupando dos pobres e realizando feiras de ação social e transformadora.


“A vida e a missão do padre Rosário se identificam com uma doutrina muito viva e uma catequese popular com muita sabedoria. O padre Rosário se ocupou em defender o direito dos pobres atendendo com escolas. Outro aspecto, os feriados religiosos, com apoio que sempre deu às festas do Santíssimo Sacramento, Santíssimo Salvador que também tem essa dimensão social de convivência e harmonização de pessoas. Caracterizou-se por ser um empreendedor social, de ligar a cidadania à ação social e espiritualidade, o que é difícil unir essas dimensões numa pessoa. Mas como grande líder espiritual soube unir a fé com as obras de misericórdia transformadora deixando um legado muito importante na educação com o Colégio Eucarístico. Padre Rosário é exemplo para todos os padres que tem dificuldade de ligar sua fé e doutrina ao comprometimento com os pobres”, confidencia Dom Roberto Francisco.


Exemplo de padre e de cidadão


Padre Márcio André Ribeiro dos Santos atualmente na Paroquia Santa Teresinha, Campos dos Goytacazes recorda seus primeiros contatos com o padre Antônio ainda na infância. Com 8 anos iniciava as aulas de catecismo e percebeu a simplicidade do sacerdote. Nas lembranças as lições que aprendeu e a inspiração a seguir o mesmo caminho no sacerdócio.


Corria o ano de 1976 quando então com apenas 8 anos de idade, eu, convidado por outras crianças da rua onde morava, fui pela primeira vez ao catecismo. Foi nesta oportunidade que conheci o padre Rosário. Chamou-me atenção aquele homem vestido de preto com um aspecto austero, porém cativante. Naquele tempo havia a presença das irmãs de Santa Terezinha estas colaboravam com a catequese e a evangelização em nosso bairro. No mesmo ano meu pai decidiu matricular-me no colégio Eucarístico onde pude conviver mais proximamente ao padre Rosário. Somente quem com ele convivia era e é capaz de compreender sua pessoa e temperamento”.


Nesses momentos de convivência surgia um grande ensinamento que hoje continua inspirando padre Márcio André Ribeiro dos Santos e lições de vida que norteiam seu ministério sacerdotal. E testemunha a fé e a piedade eucarística que revelava com palavras e atitudes, um homem santo que sempre dedicava seu tempo a viver o amor em especial aos pobres.


“Muitas foram as ocasiões onde pude testemunhar a fé e a piedade eucarística de sua pessoa. Defino padre Rosário como um homem santo. Ele é uma presença cotidiana em meu ministério presbiteral. Lembro do dia em que ele disse que eu tinha vocação sacerdotal. Quantos momentos marcantes. Lembro também quando na véspera de seu falecimento dei a ele a unção dos enfermos olhando seus olhos que se apagavam. Por fim ele foi e é presença de Deus na minha vida. Sei que um dia nos reencontraremos no céu”, conclui padre Márcio André.


Construtor de igrejas


Por toda a cidade é possível ver o legado do padre Rosário. Foi um grande construtor de igrejas. A Igreja Santa Teresinha, no Bairro da Pecuária é um dos templos construídos pelo sacerdote. E nesta paróquia está atualmente o padre Márcio André Ribeiro dos Santos. Uma obra memorável que é testemunho da obra desse padre simples, mas de profunda piedade.


Nos primeiros anos de sacerdote lecionou no antigo Seminário Sagrado Coração de Jesus’’ em Campos e fez assistência na capela de São João Batista no Capão. Em 1933 recebeu nova missão: Capelão do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora e ao mesmo tempo Vigário de Santo Antônio de Guarus e Paróquia de Morro do Coco e capelas filiais. Em 1936 Foi Cura da Catedral.


No dia 25 de março de 1941 fundação do Colégio Eucarístico onde foi diretor durante 60 anos. Em 1957 recebeu o título de Monsenhor Antônio Ribeiro do Rosário, gostava de ser chamado Padre Rosário,


Em 1941 foi para Igreja de Nossa Senhora do Rosário do Saco. A antiga igreja estava em ruínas e a solução era construção de uma nova. E ele foi à busca de diversos recursos, inclusive os recursos financeiros. Conseguiu do engenheiro Francisco Rocha Villaça, a planta da nova igreja. O engenheiro Dr. Raul Thuin foi incumbido da construção que teve seu começo no dia 14 de agosto de 1944. Construiu também a escola Paroquial (hoje o Centro Diocesano). Esteve o Padre Rosário à frente de N.S. do Rosário do Saco até 1968.


Construiu outras capelas e igrejas, como, capela de Caxeta à margem da Rodovia Campos - Niterói; a Igreja de Santa Teresinha, hoje paroquia e a fundação do Instituto Santa Teresinha das Religiosas, em 29 de agosto de 1965. Em 1981 estendeu a fundação do Instituto Santa Teresinha para Varre-Sai onde construiu a igreja de Santa Teresinha. Também construiu a Paróquia de Nossa Aparecida, Parque Lebret, em Guarus e mais tarde a igreja de São Mateus, no Parque São Mateus em Guarus, iniciou a construção da Paroquia do Sagrado Coração de Jesus.


Padre e Vereador


Sacerdote católico, poeta, dramaturgo, professor. Embora sendo monsenhor, nunca permitiu que fosse usada essa posição honorífica no seu ministério sacerdotal. Teve grande atuação assistencial. Produziu extensa obra literária e teatral. Foi vereador durante 35 anos.


Como principal legado padre Rosário sempre se preocupou com a população carente e entre os inúmeros projetos foi o responsável pelo Banco de Sangue e a criação dos feriados religiosos na cidade. Como vereador, teve grande participação em projetos que visavam o desenvolvimento da cidade, dando a população condições de uma representatividade no legislativo municipal e se tornando porta-voz de suas necessidades.


Em 1947 o padre Antônio Ribeiro do Rosário foi eleito vereador, pela primeira vez, computando 691 votos, sendo reeleito por sete legislaturas deixando importantes projetos transformados em leis que perduram até os dias atuais. Já encerrado sua carreira política  teve sua eleição no pleito de 15 de novembro de 1972, para o período legislativo de 1º de fevereiro de 1973 a 31 de janeiro de 1977, Monsenhor Rosário, pela ARENA, foi eleito com 2.047 votos. Padre Antônio foi eleito com 2.037 votos pela ARENA pelo período de 1º de fevereiro de 1977 até 31 de janeiro de 1983. Esse foi seu último mandato na Câmara Municipal de Campos dos Goytacazes. Uma presença profética e sempre na defesa da vida e da dignidade dos pobres.


Ir Rita Siqueira, do Instituto Santa Teresinha revela que em suas memórias padre Antônio confidenciou: “Nunca pensei em concorrer a cargos eletivos, mas sem saber, o Senador José Carlos Pereira Pinto e o Dr. Manoel Ferreira Paes, foram a Dom Otaviano Pereira de Albuquerque pedir autorização para me convidarem a concorrer a uma cadeira de vereador”. E mais do que tudo isso, uma vida dedicada ao sacerdócio. Também sempre encontrou forças em prol dos necessitados.


“Na política sempre trabalhou em defesa da população carente e pela causa da Igreja. Alguns projetos que se destacam como o da criação do Banco de Sangue e a criação dos feriados religiosos na cidade. Como vereador, teve grande participação em projetos que visavam o desenvolvimento da cidade, dando a população condições de uma representatividade no legislativo municipal e se tornando porta-voz de suas necessidades”, conta Ir Rita Siqueira.


Um pouco de sua história


Antônio Ribeiro do Rosário nasceu em 24 de agosto de 1909 em Conceição de Macabu. Filho do médico Dr. Antônio Ribeiro do Rosário e de Dona Euphenia Souto Rosário.


Iniciou seus estudos em sua terra natal, transferindo-se para Campos a fim de concluí-los. No Liceu de Humanidades de Campos encerrou o preparatório que dava acesso ao Ensino Superior. Nesse estabelecimento de Ensino concluiu o curso de Geografia e Cosmografia.


Sua vocação para o sacerdócio já apareceu aos sete anos de idade. Aos 19, ingressou no Seminário, seguindo para São Paulo em 1929 e em seguida para o Seminário de Mariana em Minas Gerais. Ali concluiria seus estudos eclesiásticos e retornaria a Campos, tendo recebido a ordenação sacerdotal no dia 18 de dezembro de 1932. Em seu ministério percorreu várias paróquias da cidade, tendo uma passagem pela cidade de Varre-Sai, onde construiu um colégio e a Igreja de Santa Terezinha.


Espiritualidade e consagração religiosa


Depois de um longo período de preparação, Padre Rosário fundou o Instituto Santa Teresinha, com as Religiosas, no dia 29 de agosto de 1965, com a presença do Senhor Bispo Dom Antônio de Castro Mayer, que celebrou a Santa Missa e colocou o Sacrário, com o Santíssimo Sacramento. Tudo muito simples e emocionante. No dizer de Padre Rosário, era a primeira vez que Campos assistia à inauguração de uma Casa de Religiosas. Grande era a alegria das Irmãs. Sentiam a suavidade das ¨Chuvas de Rosas¨ enviadas do Céu por Santa Teresinha.


Foram quatro as iniciadoras do Instituto Santa Teresinha: Rosália, Oracile, Salvadora e Arlete. As iniciais de seus nomes, formaram uma sigla – ROSA.


Para guiar os primeiros passos das Irmãs Consagradas, a Congregação das Carmelitas da Divina Providência deixou por um ano, a valiosa assistência da Irmã Petronilha.


O Instituto Santa Teresinha tem aprovação diocesana. Sua finalidade é a mesma que Santa Teresinha apresentou, quando, ao entrar para o Carmelo, lhe foi perguntado o porquê de sua consagração: ¨Vim para salvar almas e rezar pelos sacerdotes. ¨


Dentro desse ideal, as Irmãs teresianas cuidavam da catequese, à educação cristã nas escolas, à assistência aos pobres e doentes, às missões populares e aos retiros espirituais.


O Instituto Santa Teresinha estendeu-se até a Varre-Sai com a sua Missão. Foi inaugurada solenemente, pelo Exmo. Senhor Bispo Dom Carlos Alberto Navarro em 28 de fevereiro de 1983, com a presença de muitos fiéis, vindos de vários pontos da Diocese.


Com 57 anos de caminhada, o Instituto Santa Teresinha vem cumprindo sua missão, no total abandono nas Mãos da Providência Divina, na imitação de sua Padroeira Santa Teresinha.


Colaborou Ir Rita Siqueira – Instituto Santa Teresinha


 








Fonte: Vatican News

Indique a um amigo
 
Newsletter

CADASTRE-SE

CADASTRE SEU E-MAIL E RECEBA NOTÍCIAS ATUALIZADAS DO IBMC
  • ibmc@ibmc.com.br

  • Copyright © 2023 IBMC - Instituto Brasileiro de Marketing Católico. Todos os direitos reservados.